6 cuidados para uma comunicação eficaz entre professores e alunos

Escola em Movimento > Blog > Comunicação Escolar > 6 cuidados para uma comunicação eficaz entre professores e alunos

6 cuidados para uma comunicação eficaz entre professores e alunos

Posted by: admin
Category: Comunicação Escolar
6 cuidados para uma comunicação eficaz entre professores e alunos

O relacionamento saudável entre professores e alunos depende diretamente da comunicação estabelecida entre eles. Infelizmente, no cenário atual da educação brasileira, são identificados inúmeros problemas de comunicação que comprometem o aprendizado dos alunos.

Linguagem inapropriada, tom de voz inadequado e aulas exclusivamente expositivas são algumas falhas bem recorrentes em sala de aula.

Diante disso, é urgente que professores se atentem à comunicação em sala de aula e tomem alguns cuidados para que ela seja aliada e não vilã na educação. Atualmente, aplicativos como o da Escola em Movimento permitem que os professores se comuniquem diretamente com os alunos com muita facilidade. Continue lendo o nosso artigo e veja as principais medidas a serem adotadas nesse sentido.

Use o tom de voz adequado e seja claro e objetivo

Por mais indisciplinada que seja a turma, o professor não deve alterar o tom de voz, pois isso faz com que os alunos fiquem ainda mais agitados. O ideal é que os professores projetem a voz de forma equilibrada, sem gritar e nem falar muito baixo.

Em momentos de embates e conflitos com os estudantes, prefira uma tonalidade amena e tranquila. Essa estratégia ajuda a acalmar os ânimos e a passar as mensagens corretas.

Além disso, quando se fala em processo de ensino-aprendizagem, clareza e objetividade são fundamentais. Os professores precisam ter em mente que só há comunicação de verdade quando o interlocutor entende o que foi dito.

Sendo assim, procure simplificar as suas explicações, use exemplos, seja criativo e repita as informações quantas vezes forem necessárias para que o aluno compreenda. Lembre-se que para evitar confusões e mal-entendidos é fundamental que não restem dúvidas.

Guia para Engajar os Pais na Educação dos Filhos

Conheça a linguagem do aluno

Para otimizar a comunicação entre professores e alunos, os docentes precisam falar a língua do aluno. Em outras palavras, é preciso adequar o discurso à realidade das crianças e adolescentes. Para tanto, é crucial que os professores conheçam o vocabulário dos alunos, além de considerarem a faixa etária e a série deles.

Outro cuidado bacana em relação à linguagem é usar termos próprios da matéria para que os alunos se familiarizem com eles e saiam da aula com o repertório léxico maior do que quando entraram.

Chegue ao nível do aluno

Na hora de se dirigir diretamente a um aluno, procure ficar no nível dele, pois isso vai aumentar a relação de cumplicidade e confiança entre vocês. Se ele for bem pequeno, abaixe-se para estabelecer contato com ele.

Se ele for maior que você, proponha que vocês conversem sentados. Sempre funciona! Como se não bastasse, ouça o aluno. Isso vai fazê-lo se sentir importante.

Aproveite também para se comunicar além da sala de aula. Aproveite as festinhas na escola e encontros entre pais, professores e alunos para fortalecer a relação com a sua turma.

Além disso, usar as ferramentas tecnológicas para comunicar (e registrar) o agendamento de trabalhos, pesquisas e eventos também é uma ótima pedida. Não se esqueça que a comunicação entre docentes e discentes não deve se restringir às quatro paredes da sala de aula.

Leia também
Os 9 erros mais comuns cometidos por escolas ao adotarem um app de comunicação
As lições que escolas podem aprender com Uber, Airbnb e outras Startups

Use o corpo para se comunicar

O corpo fala e os professores devem usar o poder comunicativo do corpo a favor de sua prática pedagógica. Isso pode fazer toda a diferença para atrair a atenção dos alunos, bem como aumentar a concentração e o nível de retenção do conteúdo.

Vale salientar que professores expressivos costumam se destacar e obter melhores resultados. Justamente por conta disso, você deve aprender a se movimentar nas aulas, manter a postura aberta, estabelecer contato visual com os estudantes e usar os seus gestos como uma potente ferramenta no processo de ensino-aprendizagem.

Dê liberdade e autonomia para os alunos

Ao propor e realizar as tarefas, dê aos seus alunos um voto de confiança! Mostre para eles que, se houver cooperação, respeito e ajuda mútua, as coisas irão fluir com maior facilidade e não haverá a necessidade de sermões, broncas e desgastes para ambos os lados.

Deixe claro que você confia neles, que eles têm qualidades e competências que merecem ser exploradas e desenvolvidas, mas que isso só ocorrerá se todos colaborarem.

Quanto maior a confiança, maior a liberdade e, consequentemente, maior o respeito e a dedicação.

Uma ação leva sempre a uma reação e, se seus alunos perceberem que você lhes dá confiança e autonomia (sem perder o respeito, claro), eles começarão a se policiar e a se dedicar mais. Isso será algo natural e prazeroso para eles, tanto como grupo, quanto como sujeitos que estão descobrindo seus talentos, suas qualidades e, melhor do que isso, que estão descobrindo como superá-las e aprimorá-las a cada dia.

Motivação em primeiro lugar para se  comunicar melhor com alunos

Pense naquilo que você menos gosta de fazer na sua semana. Ir ao mercado? Ficar no trânsito? Ter que fazer uma social numa sexta à noite quando você queria mais era estar em casa? Escrever relatórios? Preencher planilhas?

Agora pense como seria diferente se todas essas coisas que você não gosta de fazer fossem lhe apresentadas de uma maneira interessante, dinâmica e, principalmente, se a tarefa fosse mediada por alguém que realmente acredita (e gosta) do que faz.

E além, que acredita que você, mais do que ninguém, consegue realizá-la de um jeito tão incrível que nem você mesmo imaginaria!

Pois é assim que deveria funcionar a relação dos alunos e dos professores. É justamente assim que as tarefas deveriam ser apresentadas aos estudantes.

Busque alternativas na hora de elaborar a atividade! Faça uma votação para que os alunos escolham qual tipo de tarefa desejam realizar primeiro, e de que maneira; use e abuse do universo deles, incluindo músicas, séries, livros, redes sociais.

Dessa forma, eles sentem que você se preocupa em construir algo que seja do interesse deles e, com certeza, se não se empenharem tanto quanto você gostaria, ao menos não irão desistir logo nos primeiros cinco minutos.

Dica bônus: Use um aplicativo escolar para compartilhar conteúdos relevantes

Sua escola usa uma ferramenta de comunicação? É altamente recomendável porque o uso de um aplicativo vai ajudar sua instituição a compartilhar conteúdos relevantes com os alunos de forma rápida.

Ter um canal para compartilhar arquivos, vídeos, podcasts, pdf’s, e demais informações complementares à sala de aula pode ajudar muito.

Em um momento de distração ou de folga, pelo próprio celular o estudante pode se preparar melhor, ganhando maior capacidade de rendimento.

E aí, você já toma esse cuidado na hora de se comunicar com os seus alunos? Que outras medidas você adota em sua prática pedagógica? Compartilhe suas experiências conosco através dos comentários!

Fale com um Consultor