Administração Escolar: O que aprender com as Startups?

Escola em Movimento > Blog > Comunicação Escolar > Administração Escolar: O que aprender com as Startups?

Administração Escolar: O que aprender com as Startups?

Postado por: admin
Categoria: Comunicação Escolar
As lições que escolas podem aprender com Uber, Airbnb e outras Startups

Tempos atrás, as ideias que tínhamos sobre as empresas bem sucedidas eram muito mais claras. Empresas grandes, com muitos funcionários, e que eram líderes de seus segmentos.

Com a evolução da tecnologia, essa noção de como uma empresa pode se tornar bem sucedida não é tão linear assim.

O Whatsapp, por exemplo – que foi adquirido por 16 bilhões de dólares pelo facebook – tinha apenas 54 funcionários quando chegou a 1 bilhão de usuários no mundo todo.

Administração Escolar: O que aprender com as Startups?

O mundo mudou em uma velocidade mais rápida nos últimos anos devido a forte evolução das tecnologias.

A pergunta que fazemos é: as escolas se adaptaram a essas novas possibilidades? Como podemos preparar os alunos para o futuro? O que essas grandes empresas podem ensinar para uma melhor administração escolar? Vamos interagir sobre!

Uma boa administração escolar requer inovação constante

Primeiramente as escolas precisam estar cientes dessas rápidas mudanças no mundo e discuti-las no ambiente escolar. Envolver os pais, alunos e colaboradores em debates pode ser uma ótima ideia.

Checklist para Escolas

As startups, mesmo começando com pouco dinheiro, usaram a esperteza para terem um crescimento muito rápido. Assim derrubaram corporações muito mais fortes e sólidas, mas que acabaram ficando na zona de conforto por um tempo.

Até chegar alguém com menos poder financeiro, mas com maior capacidade de inovação. Assim, todo um mercado é impactado.

Foi o que aconteceu em vários mercados com inovações que foram disruptivas. Isto é, algo que veio para dar um salto muito grande em um produto ou serviço.

As lições que escolas podem aprender com Uber, Airbnb e outras Startups
Como sua escola tem inovado nos últimos anos? Foto: Reprodução.

Lembra de quando ter a coleção das Enciclopédias Barsas era sinal de detenção de conhecimento? Pois é, hoje o Wikipedia, que é gratuito, trouxe mais comodidade para fazermos as pesquisas e o valor desses livros nem de longe é o mesmo.

Essa mudança obviamente mudou a dinâmica das escolas. Os aplicativos escolares podem também ajudar muito na comunicação com os pais, alunos e também internamente.

Porque podem ajudar a otimizar o tempo e a melhorar a parceria entre os envolvidos na educação. Usar as tecnologias de forma inteligente vai trazer muitos benefícios.

As startups ensinam isso ao explorarem ao máximo o potencial das tecnologias para inovarem tanto a ponto de conseguirem crescer exponencialmente.

Este exemplo, do pequeno que derruba o grande com esperteza e muita sabedoria, pode ser aplicado nas escolas.

Afinal, com a difusão de tanto conhecimento na internet, um aluno que se esforça e estuda muito, tem possibilidades de criar negócios, ideias e inovações que vão levar o mundo a algum lugar melhor.

As escolas podem usar o exemplo de grandes empreendedores que conseguiram criar negócios bem sucedidos para inspirar os jovens. Afinal, não existe um lugar no mundo mais propício para testar, sonhar e aprender do que uma escola, certo?

Liberdade para errar

Os empreendedores de startups sempre dizem que o erro sempre vai acontecer. Se não ocorre, é porque não estão arriscando o suficiente. A questão é o quanto você aprende com os erros.

Administração Escolar: O que aprender com as Startups?
Essa lição pode ser muito útil às escolas, já que muitas vezes os alunos se tornam pragmáticos por pensarem primeiramente nas notas, em passarem de ano.

É necessário cuidado para que a preocupação com as notas não supere outros aspectos mais importantes.

Administração Escolar: O que aprender com as Startups?
J. K. Rowling, autora da série literária mais vendida da história, Harry Potter, já disse: “Alguns fracassos na vida são inevitáveis. É impossível viver sem falhar em alguma coisa, a menos que você viva de forma tão cautelosa que você pode não ter vivido de verdade – nesse caso, você falha por omissão.”

Essa cultura nas escolas para incentivar o risco e não intimidá-los a errar é bastante positiva.

Tecnologia permite atalhos e otimizar trabalho

A nova dinâmica do mundo permite novas possibilidades, que muitas vezes as pessoas ainda não usufruem.

Com novas tecnologias o trabalho de professores e demais colaboradores podem atingir mais pessoas e ter maior resultado.

Guia para Engajar os Pais na Educação dos Filhos
Ferramentas como o Khan Academy podem oferecer conteúdos de graça e de alta qualidade. Basta ter um computador e internet e, pronto, ao seu alcance conteúdos espetaculares para desenvolver o aprendizado.

O Khan ainda oferece o acesso personalizado a pais, professores e alunos. Assim a colaboração entre todos pode ser ainda maior.

Como estudos já comprovaram, as pessoas têm diferentes tipos de criatividade e aprendizado. Alguns funcionam melhor, sempre, dentro de sala de aula, com o professor, no modelo mais tradicional.

Outros têm mais facilidade com vídeos, ou até mesmo com jogos. Como é o caso do Duolingo, um site altamente indicável para quem quer aprender um novo idioma.

Aliás, os jogos são também um jeito inovador de se ensinar. Divertindo-se e exercitando a criatividade o aprendizado fica mais fácil para todos os perfis de alunos. Tudo isso pode acelerar o desenvolvimento, tornando-o mais simples.

Além disso, toda a inovação das startups devem inspirar professores e demais profissionais de uma escola a otimizarem seu tempo. Afinal, se empresas com poucos funcionários conseguiram superar grandes corporações, as escolas podem também aproveitar mais o tempo, usando as tecnologias certas.

Trocar a agenda de papel por um aplicativo escolar, por exemplo, pode aumentar e muito a produtividade dos colaboradores. Isso porque fica muito mais fácil enviar informações aos pais e alunos, de forma mais abrangente e também eficaz.

Leia também

As regras de ouro para retenção e captação de alunos

41 razões para escolas abandonarem agenda de papel para usar um aplicativo escolar

Há sempre espaço para fazer melhor

Não existem escolas que têm bons resultados e que não buscam incessantemente melhorar seus processos. É necessário sempre buscar fazer melhor.

Esse espírito de superação, quando é algo cultural dentro da instituição, passa também para os alunos.

Sobre fazer sempre melhor que ontem, Peter Thiel, cofundador do Pay Pal e investidor de inúmeras startups, é certamente um dos nomes mais relevantes do mundo quando o assunto é inovação.

Ele explica que o progresso passa por criar coisas novas, não copiar aquilo que já foi feito. Diz que é necessário pensar no que é diferente, e em ser único.

Esse espírito ousado das startups pode ajudar escolas a irem mais longe do que imaginam e ajudar a alunos se sentirem mais realizados. Podendo aliar com mais intensidade a teoria e a prática.

Pensar que um ambiente agradável para os colaboradores é essencial

Tenha um ambiente favorável para os colaboradores da escola e faça de tudo para que eles se sintam em casa.

Funcionários trabalhando felizes passam a se sentir parte real do ideal da escola. Se estão satisfeitos, tendem a trabalhar com mais foco e paixão. Fica muito mais fácil atingir os objetivos com os colaboradores engajados dessa forma.

Ter também um ambiente simples, que dá autonomia para os colaboradores implementarem suas ideias, também é algo bem interessante a ser feito. Muitas vezes, os processos burocráticos atrasam o processo e mantém instituições sempre no mesmo lugar.

Às vezes são necessárias várias reuniões com funcionários, pedir autorização para supervisão, coordenação, para realizar ações simples. Por que não seguir os exemplos de startups de sucesso e simplificar?