Como a comunicação entre pais e professores pode diminuir o bullying

Escola em Movimento > Blog > Comunicação Escolar > Como a comunicação entre pais e professores pode diminuir o bullying

Como a comunicação entre pais e professores pode diminuir o bullying

Posted by: admin
Category: Comunicação Escolar
Como a comunicação entre pais e professores pode diminuir o bullying

O bullying tem sido apontado como um dos grandes males da convivência escolar. Muitas crianças e adolescentes com medo ou vergonha de revelarem aos pais e professores que estão sendo assediados pelos colegas. Assim, acabam por sofrer calados. Esse clima ruim interfere no comportamento e prejudica os estudos.

Às vezes, os pais acreditam ter um diálogo superaberto com seus filhos e se surpreendem quando descobrem que ele está sofrendo bullying. Para que situações como essa sejam resolvidas com mais rapidez e de forma menos traumática, o ideal é que família e escola atuem em conjunto.

A escola contribui para a formação cidadã, mas cabe aos pais passar noções de ética, respeito, entre outros valores. Por isso a necessidade de que haja uma boa comunicação entre as instituições familiar e de ensino. Esse diálogo, porém, não pode se restringir as reuniões bimestrais. É necessário um contato constante.

Como escola e pais podem identificar o bullying

A primeira medida para identificar se um aluno está sofrendo agressões verbais e até físicas na escola, é observando o seu comportamento. Jovens que passam todo o tempo sozinhos e que ficam mais agressivos em casa, por exemplo, podem estar enfrentando algum problema no ambiente escolar.

Portanto é necessário que tanto pais como educadores observem. Caso seja iedntificada alguma anormalidade, podem comunicar uns aos outros as suas impressões através de um telefonema ou marcando um encontro na escola.

Além das reuniões, as instituições de ensino ainda podem promover palestras e workshops sobre o tema para ajudar os pais a identificarem casos de bullying e resolverem o problema da forma mais saudável possível.

O papel do professor e o dos pais

Dentro da sala de aula os professores podem abordar o bullying a partir de exercícios e atividades que incluam a todos. Quando surgir um caso, o educador deve repreender imediatamente e convidar os pais dos envolvidos para um bate-papo.

Os pais devem mostrar com atitudes a importância do respeito e passar a segurança de que seus filhos podem contar com eles para qualquer problema na escola. Adolescentes, no geral, ficam mais envergonhados e por isso o diálogo pode ser mais complicado.

Quando identificar um caso, os pais não devem simplesmente tirar o aluno da escola, mas propor uma conversa com os professores para entender o que está acontecendo. Nem sempre o bullying é realmente um bullying. Pode ser um simples caso de implicância, fácil de resolver a partir de uma conversa.

Estimular o diálogo é importante

Prestar atenção no que as crianças e adolescentes dizem é extremamente importante. Muitas vezes eles têm dificuldade de se expressar ou preferem dar indiretas para que alguém perceba que estão passando por algum problema. Por isso é importante estimular o diálogo. Pais e professores precisam se mostrar disponíveis. O que acontece em alguns casos é que os adultos estão tão envolvidos com os problemas cotidianos que não param para conversar com os filhos.

É interessante que pais e professores se reúnam para dialogar com os alunos usando uma linguagem próxima a deles. Os mais introvertidos podem ser estimulados a se expressar de outras formas, como através de desenhos, por exemplo.

Os pais devem estar sempre em contato com a escola, o que pode acontecer através de reuniões, festas, palestras, entre outras atividades. Só assim conseguirão identificar o comportamento de seus filhos e saber se suas queixas realmente procedem.

Bullying é caso sério e pode afetar os estudos. Por isso o trabalho em conjunto é tão importante. Queremos saber sua opinião, seja ela de pai ou educador. Não deixe de comentar!