Frequência escolar: Como professores podem evitar a evasão?

Escola em Movimento > Blog > Comunicação Escolar > Frequência escolar: Como professores podem evitar a evasão?

Frequência escolar: Como professores podem evitar a evasão?

Postado por: admin
Categoria: Comunicação Escolar
Frequência escolar: Como professores podem evitar a evasão?

A evasão não é um problema recente da educação e, infelizmente, pouco se faz para reverter essa situação.

Pesquisas promovidas pelo Ministério da Educação apontam índices ruins de frequência escolar. E ainda: a situação vai piorando conforme os alunos avançam nas séries.

Além de um enorme prejuízo no aprendizado do aluno que falta muito e que dificilmente conseguirá acompanhar o rendimento dos demais alunos, a escola também e prejudicada. Muitas vezes, existe a cobrança dos pais desses alunos de um aproveitamento escolar mais adequado ou mesmo de uma escola mais atrativa.

Para a resolução do problema da frequência escolar, devem ser pensadas atitudes coletivas. Estas ações devem compreender não só os alunos e professores, mas também seus pais e familiares. E para saber como lidar melhor nessas situações de ausência excessiva dos alunos nas aulas, fizemos este post com algumas dicas que certamente ajudarão nessa conduta. Acompanhe!

Esteja atento ao comportamento de seus alunos

Fundamental para todo professor e gestor escolar é estar sempre atento ao comportamento de seus alunos. A simples observância dos mesmos pode surtir efeitos vantajosos e prever certos tipos de conduta.

Observe como o aluno que falta muito se porta em sala, se é mais tímido e pouco interage. Ou se é desordeiro e não consegue obedecer as normas escolares, como é a interação dele com os outros colegas e funcionários da escola. Observar e analisar o comportamento do aluno pode trazer respostas sobre suas constantes faltas.

Muitas vezes, o professor poderá notar que ele está desestimulado ou com dificuldades de aprendizado, chegando à raiz do problema é mais fácil resolvendo-o. Esse processo de observância comportamental pode — e deve — ser mesclado com o trabalho de psicólogos e terapeutas da escola.

Promova conversas e escute o que os alunos têm a dizer

É comum que professores, gestores e até mesmo os pais dos alunos não os escutem ou os envolvam nos processos de decisões referentes à própria vida escolar. Entretanto, integrá-los ao que está acontecendo é fundamental.

O próprio aluno terá a capacidade de informar as razões de sua ausência nas aulas. Muitas vezes, tendemos a associar essa prática a problemas de aprendizagem ou emocionais, mas não podemos excluir também as faltas podem ser motivadas por questões práticas, como transporte escolar, organização do tempo no ambiente familiar, entre outros.

Dessa forma, uma simples conversa pode trazer o aluno de volta a assiduidade escolar. Caso não seja uma questão de ordem prática, medidas pedagógicas, novas estratégias ou ate mesmo um acompanhamento psicológico pode corroborar para a solução desse problema.

Mantenha contato com a família do aluno

A comunicação entre família e escola pode ser a grande solução do problema da frequência escolar. Em contato com a família, professores e gestores poderão compreender os motivos das ausências nas aulas.O engajamento da família na vida escolar do aluno é fundamental. Essa aproximação da família ajuda na resolução de questões de ordem práticas de maneira muito efetiva.

Existem diversas maneiras de aproximar as famílias do ambiente escolar. A comunicação mais dinâmica por meio de aplicativos como o da Escola em Movimento, por exemplo, constitui-se em um aliado importante. Você ainda tem dúvidas ou questionamentos acerca do tema? Então deixe seu comentário e venha participar da conversa.

Deixe uma resposta